Sem desperdício – a chave para reduzir os custos com envase de sorvete

Quais são os fatores que geram custo no envase do sorvete e como solucioná-los? Analisamos o problema e descobrimos que a redução do desperdício é crucial para o desempenho geral e para o resultado final. Vamos mostrar como isso funciona.


O envase de sorvete, assim como outros processos complexos, possui componentes essenciais. Para fabricantes de sorvete que buscam uma operação eficiente, sem problemas e rendimentos altos e consistentes, é importante investir em uma máquina que ofereça soluções robustas e confiáveis para os componentes tradicionalmente problemáticos. Esses componentes são normalmente identificados como o dispensador de cones e a unidade pulverizadora de chocolate. Quando mais robustos e simples eles forem, é mais provável que a máquina de envase forneça a quantidade e a qualidade especificada com o mínimo de desperdício É importante lembrar que o desperdício não se define apenas como o desperdício direto de cones, sorvete, chocolate, entre outros, que precisa ser jogado fora. Ele também inclui o consumo de energia e as horas de trabalho do operador, que são os mesmos, se não maiores, em um processo menos robusto. O resultado é um custo de produção consideravelmente maior.

Em circunstâncias ideais, a maioria das máquinas de envase de sorvete podem fornecer bons tempos de operação. No entanto, as condições reais frequentemente incluem matérias-primas com vários defeitos que podem resultar em emperramentos e subsequentes paradas na produção. Portanto, é importante utilizar um equipamento que possa lidar com pequenos desvios em matérias-primas (cones, tampa, chocolate) de maneira a não interromper a produção com um tempo de inatividade não planejado.

É igualmente importante concentrar-se em perdas de sorvete e chocolate causadas por flutuações na precisão em uma fileira de envase. Já que volumes e pesos específicos são especificados ao cliente, o equipamento deve garantir um nível mínimo de envase em casa cone ou copo. Quanto menos flutuação e quanto mais preciso o envase de cada unidade, menores serão as perdas.

Especialmente para máquinas de envase com planejamento de produção flexível, as horas de trabalho do operador e as matérias-primas desperdiçadas em inícios e paradas são importantes geradores de custo. Isso deve ser considerado ao avaliar o desempenho da máquina. Sequências de início e encerramento devem ser criadas de modo a minimizar esse desperdício, por exemplo, oferecendo trocas rápidas e fáceis, soluções para evitar o entupimento da unidade pulverizadora de chocolate e a garantia de que todos os cones e copos sejam envasados igualmente, de primeira à última fileira. ​​

Finalmente, como a máquina de envase faz parte de uma linha, ela precisa adequar-se perfeitamente às outras unidades de processamento, incluindo alimentadores, freezers e túnel de endurecimento. Equipamentos acessórios com capacidade insuficiente retardam a produção, e não utilizar o freezer ou o túnel de endurecimento em suas capacidades máximas significa tanto um investimento desnecessário como um desperdício de energia e mão de obra.

Para concluir, há muitas maneiras diferentes de reduzir o desperdício no negócio de envase de sorvete. Um bom começo é encontrar uma máquina que ofereça soluções robustas para oferecer alto tempo de operação, o mínimo de perdas e alto nível de flexibilidade, além de adaptar-se ao equipamento de processamento de upstream e downstream. O resultado será um menor desperdício de matéria-prima, tempo, energia e capacidade.

Entre em contato conosco para obter mais informações envase de sorvetes