Parceria em ação no Sri Lanka

Uma nova iniciativa do Centro de laticínios, na região noroeste do Sri Lanka devastada pela guerra, é criar capacidade na indústria láctea e transformar a vida dos agricultores locais.

Sri Lanka

Oportunidade de desenvolvimento sustentável

O distrito Jaffna no Sri Lanka pode não parecer o lugar mais óbvio para um projeto de centro de laticínios. A guerra civil do país acabou em 2009. No entanto, quando a Tetra Laval começou a explorar a possibilidade de trabalhar na região, em 2013, as cicatrizes deixadas pela antiga força rebelde ainda eram muito evidentes. 

"As casas estavam perfuradas com balas, e os campos, cheios de minas", disse Bjorn Wille, diretor de desenvolvimento de projetos e nutrição da Food for Development. "A economia local estava em pedaços. Não havia tradição de fazendas leiteiras no local, e pouca experiência. Os agricultores até tinham uma ou duas vacas em suas terras, mas o rendimento era pouco e não havia infraestrutura para vender o leite excedente, se houvesse".

Todavia, Bjorn e seus colegas na Tetra Laval Food for Development viram uma oportunidade. "É meu trabalho ver o cenário geral, então eu vim desde cedo e avaliei a economia", explicou ele. "Todo projeto que desenvolvemos deve ser sustentável, então eu preciso considerar o preço do leite, o custo da alimentação, entre outras coisas, para garantir que valerá a pena para os agricultores e para os clientes".

Colocando os parceiros em contato

pessoas no centro de coleta de leite

Depois de constatar que um projeto em Jaffna poderia ser viável, Bjorn se empenhou em colocar os parceiros em contato, a rede de supermercados local e produtor de lácteos Cargills e a agência de assistência internacional GIZ. Outras agências tentaram desenvolver fazendas leiteiras no local anteriormente, mas faltou vínculo com o mercado. Juntas, Cargills e GIZ conseguiram preencher esta lacuna, oferecendo uma combinação de preços competitivos e uma rede sólida de pontos de coleta, além de educação e treinamento básicos.

Como sempre, o primeiro passo foi se concentrar em aumentar os padrões pecuários. A GIZ ofereceu uma equipe veterinária, incluindo um especialista em inseminação de gado, que poderia ajudar a aumentar o número de cabeças de gado e aprimorar a linhagem a um custo relativamente baixo para os agricultores. Morgan Tinnberg, especialista em laticínios internacional da Food for Development, também teve um papel fundamental, trabalhando de perto com agricultores inexperientes para aumentar a experiência em alimentação e cuidado das vacas, para garantir um rendimento melhor na qualidade do leite.

"O projeto foi um presente de Deus"

Dois anos após o início, o projeto já está gerando resultados significantes. Para Cargills, ele forneceu uma forma de aumentar volumes em um país em que, atualmente, a demanda é muito superior à oferta. Os volumes têm aumentado de forma estável desde o início do projeto: de zero a 6 mil litros por dia. Como Bjorn evidenciou, "quando o volume aumenta dessa forma, estamos agregando valor aos produtores de laticínios, pois eles veem os custos de coleta caindo conforme a quantidade de leite aumenta". De fato, o projeto foi tão bem sucedido que a Cargills está ansiosa para expandir as operações pela província norte. Todos os três parceiros estão atualmente procurando a melhor forma de implementar uma versão maior do projeto atual.

Os benefícios são óbvios para os agricultores também. Tendo visto um aumento significativo nos lucros - a receita líquida de uma única vaca, atualmente, equivale a cerca de 40% da receita média local - muitos decidiram investir em mais cabeças de gado e aproveitaram os empréstimos a juros baixos do banco da Cargills para fazer o investimento. Uma agricultora resumiu o impacto do projeto para as pessoas e suas famílias: "Estamos finalmente conseguindo nos sustentar sozinhos e criar nossos filhos de forma adequada sem criar dívidas. O projeto foi um presente de Deus para nós".