MENSURAR E RELATAR

Definimos metas claras e nos empenhamos em monitorar nosso progresso, garantindo transparência sobre nosso impacto em todas as áreas.

Princípios da elaboração de relatórios

Para monitorar nosso progresso com relação à meta climática e para garantir a consistência e precisão, estabelecemos procedimentos e processos, como também um sistema de geração de relatórios abrangentes. Desde 1999, relatamos nossos dados ambientais de acordo com os seguintes princípios:

  • Todos os dados apresentados cobrem um ano de calendário completo, de janeiro a dezembro.
  • Relatamos nossas emissões de gases do efeito estufa (GEE) de acordo com os princípios do Protocolo de GEE desenvolvido pelo World Resource Institute (WRI - Instituto de recursos mundiais) e o World Business Council on Sustainable Development (WBCSD - Conselho empresarial mundial para o desenvolvimento sustentável). Aplicamos a abordagem de consolidação do "controle operacional" para determinar as barreiras organizacionais e as GEEs cobertas pelo Protocolo de Kyoto da ONU, o WRI e o protocolo de GEE do WBCSD.
  • Para os dados selecionados, apresentamos também um indicador de eficiência ecológica. Os indicadores de eficiência ecológica refletem o impacto ambiental em relação a um determinado parâmetro, por exemplo, volume de produção.
  • Em alguns casos, corrigimos dados de anos anteriores quando as instalações relatam correções nos dados históricos. Isso melhora a qualidade dos dados e permite comparações mais significativas entre os anos. Consequentemente, os dados apresentados em relatórios anteriores podem diferir ligeiramente.
  • Nos casos em que precisamos recalcular dados, o fazemos de acordo com nossa própria política de recálculo, que segue os padrões do Protocolo GEE para contabilidade empresarial e de escopo 3.

Relatando as emissões de GEE

A Tetra Pak tem um longo histórico de trabalho para diminuir as emissões de gases do efeito estufa. Desde 1998, coletamos anualmente dados sobre os gases do efeito estufa de nossa organização e consolidamos as informações em um banco de dados centralizado.

Até 2010, medimos apenas as emissões de nossas próprias operações. Em 2011 estabelecemos nossa nova estratégia climática. Ela firmou nosso compromisso de reduzir emissões em toda a cadeia de valor, definiu nossa meta climática de 2020 e estabeleceu 2010 como sendo o ano de base em que coletamos os dados da cadeia de valor pela primeira vez.

Os dois anos seguintes foram dedicados para estabelecer e ajustar os procedimentos e processos que nos ajudariam a atingir nossa meta. Em 2013, começamos a verificar nossos dados de emissão através de auditorias externas. Para garantir números comparativos e abrangentes, baseamos nossas contas nas diretrizes do Protocolo de GEE, que é reconhecido como a principal metodologia de gerenciamento da emissão de gases do efeito estufa.

O protocolo exige que façamos o relatório de emissões em três áreas, ou escopos:

  • Escopo 1: emissões diretas de nossas próprias operações, incluindo o consumo de combustível e o uso de solventes e líquidos refrigerantes.
  • Escopo 2: emissões indiretas relacionadas a eletricidade, calor, vapor ou resfriamento.
  • Escopo 3: emissões indiretas em nossa cadeia de valor provenientes de fontes que não pertencem ou não são controladas pela Tetra Pak.

Nosso escopo 2 total é calculado por meio da metodologia "baseada no mercado" desde 2015. Isso significa que usamos as taxas de emissão específicas do fornecedor quando disponível, de acordo com os critérios de qualidade do escopo 2 do Protocolo de GEE, e que nossos resultados refletem o uso de energia renovável em nossas instalações. Quanto ao escopo 3, contabilizamos e relatamos as emissões na cadeia de valor, mostrando o impacto climático total dos fornecedores, da produção, e do uso e descarte de nossos produtos.

No Escopo 3, contabilizamos e relatamos emissões de toda nossa cadeia de valor, incluindo fornecedores, clientes e final de vida, o que nos dá um quadro completo do impacto climático total que resulta da obtenção, produção, uso e descarte de nossos produtos.

  • Fornecedores: produção de matérias-primas compradas, inclusive papel-cartão, alumínio e polímeros. Transportes internos e externos contratados por nós.
  • Nossas operações: emissões de viagens de negócios, resíduos de operações e emissões upstream relacionadas a combustíveis e energia consumidos na instalação (não incluídos nos escopos 1 e 2).
  • Clientes: o uso de energia dos equipamentos da Tetra Pak nas instalações dos clientes, incluindo equipamentos de processamento, enchimento e distribuição. O transporte, incluindo o transporte de material de embalagem para clientes não contratados pela Tetra Pak.
  • Final de vida: inclui o impacto climático das embalagens cartonadas para bebidas da Tetra Pak que vão para aterros e incineração sem recuperação de energia.

Saiba mais: